Ligue agora e MARQUE UMA CONSULTA: 11.3037-7099

Cinco desafios psicológicos na provas de Ironman

Durante o período de preparação para uma prova de Ironman, treinamos muito mais do que o físico. Cada série, cada esforço e cada hora que o atleta passa na piscina, na pista ou em cima de sua bike, traz inúmeros desafios, que precisam ser diariamente superados para que as metas estabelecidas para a prova possam ser alcançadas. E neste processo de sobrecarga e recuperação, de sofrimento, paciência, tédio, cansaço, mau humor, dúvidas e certezas, nossa mente, assim como o nosso corpo, vai sendo desenvolvida e treinada para suportar os desafios da prova, que se não são maiores, ou em maior número do que as dos treino, tem características específicas que podem ser determinantes para o resultado final da prova.

E é importante conhecer quais são estes desafios, pois quando se fala em preparação mental, ou em desafios psicológicos, o que nos vêm a cabeça são aqueles atletas inseguros, ansiosos, com medo da prova ou de alguma de suas etapas, com os quais muitas vezes não nos identificamos, e acabamos por ignorar conceitos e relações fundamentais com o nosso sistema de pensamento, ação e emoção, fundamental durante toda a prova.

Quando se fala que o Ironman, e sua consequente performance, é uma prova de “cabeça”, o que se quer dizer é que, durante toda a sua longa duração, as emoções, sensações e principalmente os pensamentos, exercem um papel fundamental no controle e aplicação das capacidades físicas que foram desenvolvidas pelos atletas. E algumas destas capacidades psicológicas chave, podem determinar o resultado da prova:

  1. Ansiedade

A ansiedade é o fator mais associado a influência que os estados mentais podem ter sobre a performance. Ela aumenta na medida em que o desafio cresce e o atleta não se sente suficientemente preparado para enfrenta-lo. Ela afeta o desempenho, prejudicando a qualidade do sono, gerando desgaste físico e psicológico antes mesmo de a prova começar e, principalmente, afetando a capacidade do atleta de perceber momentos, situações e sinais críticos da prova e de seu corpo, que permitiriam ao atleta adaptar-se, tomando as decisões mais adequadas.

Em uma prova como o Ironman, na qual vários meses de treino irão se concretizar em um dia onde muitos fatores são incontroláveis, a ansiedade tende a estar presente mesmo nos atletas mais experientes. O que os diferencia é a sua capacidade de, mesmo sob a possibilidade do imprevisível, manter-se focado nos fatores controláveis e usar o aumento dos níveis de ativação, causados pela ansiedade ao seu favor.

Controlar a ansiedade se torna então uma habilidade essencial para aqueles que buscam  equilíbrio e um estado mental adequado para que possa lidar com todas as exigências da prova de uma forma mais positiva.

  1. Confiança

A confiança tem sua base na percepção do atleta em relação a suas reais capacidades, isto é, na medida em que o atleta se apropria de suas capacidades, sua confiança tende a aumentar e a medida entre o tamanho do desafio e a capacidade do atleta tende a se tornar mais exata.

No Ironman a confiança é um fator chave, pois o desafio nunca é pequeno. Seja para um atleta iniciante que precisa confiar em sua capacidade de terminar a prova, seja para um profissional que precisa acreditar que conseguirá manter um alto nível de esforço por um período tão prolongado. A confiança se torna então um guia, que baseado nas capacidades percebidas durante os treino e provas preparatórias, dá ao atleta a certeza de que o desafio será superado.

A confiança também é diretamente responsável pela diminuição da ansiedade e a definição da estratégia de prova. Quanto mais confiança o atleta tem em determinada etapa da prova ou capacidade específica, mais esta terá um papel central em sua prova e mais tranquilo para seguir o seu plano o atleta estará. Muitas vezes é a confiança que faz com que o atleta aumente seu ritmo em determinado momento ou situação da prova ou se mantenha fiel ao seu planejamento quando algum outro atleta ou grupo passam por ele.

  1. Estratégia

A estratégia, que a princípio parece algo puramente relacionado ao treinamento físico, tem um importante fator psicológico, determinante para o desempenho do atleta. Isto porque na determinação e principalmente na capacidade de seguir este planejamento no momento da adrenalina da prova, entram em cena fatores como a ansiedade, a confiança, a tomada de decisão, a percepção e outros fatores pessoais.

Uma estratégia adequada precisará considerar todos estes fatores para que seja realmente efetiva. Ela deverá se basear em objetivos bem definidos e determinados, em referências pessoais e individuais e considerar fatores como a competitividade, a impulsividade e a capacidade de manter-se focado em seu planejamento. Sem uma compreensão ampla deste quadro não adianta uma estratégia perfeita no papel e nos números, mas que pode ir por agua abaixo em função de uma decisão crítica em um momento inadequado.

  1. Tomada de decisão

Em uma prova de Ironman inúmeros são os fatores que influenciam o resultado da prova. Muitos deles estão ao alcance do atleta, e dependem dele para se sucederem de forma correta. Outros tantos não estão ao seu alcance, são os fatores incontroláveis, que representam um importante papel em uma prova tão longa.

O que estes dois fatores tem em comum é que ambos exigem do atleta uma grande capacidade de tomada de decisão e consequente adaptação. Em relação aos fatores controláveis o atleta precisa tomar as decisões corretas para que eles ocorram, como acelerar, manter o ritmo, acompanhar um grupo, atacar em uma subida ou começar a correr em um ritmo mais conservador. Estas decisões, tomadas no momento certo, irão garantir as condições para a conquista dos objetivos, ou no mínimo criar condições melhores para alcançá-los. No caso dos fatores incontroláveis as decisões precisarão acompanhar os imprevistos, garantindo uma maior rapidez na capacidade de adaptação do atleta às novas condições de prova. Após um pneu furado o atleta precisa decidir se segue seu ritmo ou tenta recuperar o tempo perdido, após sair muito mal da água deverá acelerar o início do ciclismo para se juntar ao grupo ou deve seguir a estratégia? Como deve se adaptar caso seu plano não esteja dando certo?

Quanto melhor a capacidade do atleta em tomar as decisões corretas, de forma rápida, associando os fatores importantes a serem considerados em cada situação e antecipando suas consequências, maior sua capacidade de adaptação às mudanças e contingências da prova, o que resultará em importantes influências no resultado final.

  1. Tolerância

Outro fator de grande relação entre a capacidade física e a psicológica é a tolerância. E aqui me refiro a vários tipos dela, Tolerância a dor, ao cansaço, ao esforço, ao tédio, a monotonia, às emoções de excitação e de depressão, ao nível de concentração, de atenção e de pressão psicológica.

O Ironman é uma prova de extremos e todos estes extremos exigem uma grande resistência, que é treinada durante a preparação, mas que só é possível vivenciar no momento da prova, e por isso a experiência acaba contando tanto.

Desenvolver a capacidade de tolerar é fundamental para manter um ritmo e uma estratégia mesmo sob fadiga. Depende de o quanto o atleta confia em sua capacidade de suportar o desconforto, da importância de seus objetivos para ele, de sua motivação e de sua certeza de que momentos difíceis passam e de que a prova é feita de altos e baixos, de ânimo e de tédio, de tumulto e de solidão, de barulho e de silêncio.

A capacidade de tolerar é em parte inata, relacionada a característica da cada atleta, mas também é treinável e depende da identificação do ponto fraco de cada um, das possíveis situações que podem afetar o planejamento e da criação de estratégias para enfrentar as dificuldades.

Decompondo estes fatores de forma didática podemos ter uma visão melhor de que as capacidades psicológicas estão diretamente relacionadas a preparação física, e a todo o processo de treinamento. Elas estão presentes em cada etapa, em cada decisão e em cada ação que o atleta realiza durante uma prova, mesmo que não se dê conta dos fatores envolvidos, e acabam influenciando todo o resultado dos esforços.

Por isso é tão importante considerar todos estes aspectos quando se pensa em uma prova de ironman, inclusive em COMO se pensa nela, se planeja, se prepara e que tipo de habilidades precisam estar desenvolvidas para que os pensamentos, as ações e as emoções, trabalhem em conjunto com o corpo em direção ao objetivo estabelecido.

Arthur Ferraz

Psicólogo Esportivo

aferraz@institutokellystefani.com.br

 

 

Deixe um comentário