Quem sou

Eu me especializei em Ortopedia e Traumatologia devido ao fato de eu ser atleta desde criança e de me sentir fascinada pelo estudo da biomecânica do corpo humano. Em especial dos pés e tornozelos, pois eles que nos levam para onde queremos ir.

Minha “expertise” é em ortopedia, que cuida dos: ossos, músculos, ligamentos, tendões e cartilagens…todavia diversas possibilidades podem influir nessas lesões.

LESÕES ORTOPÉDICAS: COMO EU TRATO?

Uma conversa inicial na consulta do paciente numa visão holística me ajuda e entender a queixa dentro do contexto de vida cotidiana dele. Quando faço o diagnóstico ortopédico já contextualizo o que há ao redor que possa ajudar no processo de cura e indico para meu paciente os profissionais qualificados para trabalharem em conjunto no processo de cura e recuperação.

Realmente, acredito que tantos fatores associados possam ser mais bem tratados na multidisciplinaridade, por isso vivencio essa verdade no meu consultório.

Enfim, para que se façam tantas associações com tantas possibilidades de seres humanos tão únicos é preciso ter muito conhecimento técnico.  Por isso jamais parei de estudar em livros, publicações além de produzir os meus próprios trabalhos científicos trabalhando com a pós-graduação em Ortopedia e Traumatologia.

Acredito também que só o conhecimento técnico não basta, pois a medicina que pratico é fruto do aprendizado da faculdade e residência médica com tantos mestres. Mas não só meus professores como também meus pacientes. Sim a observação é uma ferramenta de aprendizado incrível!!! Observo muito meus pacientes para entender onde a parte “humana” se encaixa na história da lesão ortopédica.

A resposta para:” Lesões ortopédicas: como eu trato”… é fácil!!!

Eu trato com muito profissionalismo, dedicação, estudos e acima de tudo com paixão. Sim sou apaixonada pelo que faço!!!

Simples assim…

“Nós somos aquilo que fazemos repetidas vezes, repetidamente.

A excelência, portanto não é um feito, mas um hábito”

Aristóteles

MINHA ESSÊNCIA

Ter talento apenas não basta para se tornar um bom ortopedista. A vontade de vencer, ou melhor, a vontade de se preparar para vencer (ESTUDAR) é o complemento indispensável ao talento. E o fator sorte? Gosto quando o superatleta Tiger Woods diz: “Quanto mais eu treino mais sorte eu tenho” ou quantas vezes nosso grande atleta Oscar Schmidt disse: “Mão santa que nada, mão treinada”.

O médico deve se atentar à sua preparação com comprometimento e determinação estudando, lendo, observando, questionando. “Quando a preparação é intensa e sistemática, qualquer coisa diferente será apenas uma pequena variação daquilo que você se preparou”, esta ideia de que a preparação extrema permite maior capacidade de adaptação em situações inesperadas é do ex-prefeito de Nova York – Rudolph Giuliani. E com certeza esta preparação fará o diferencial na prática diária.

  Meu lema é que boas performances dependem de conteúdo (fruto da preparação) e entusiasmo (fruto da paixão).