Ligue agora e MARQUE UMA CONSULTA: 11.3037-7099

Dra. Kelly Stéfani é entrevistada pela “Revista Samaritano com você”

Dra.Kelly conta sua história como atleta desde a infância até chegar ao triathlon que pratica atualmente. Hoje realiza provas de Ironman e utiliza o esporte como laboratório de entendimento das lesões de seus pacientes atletas. Veja sua história!!!

Além dos limites

Natação, ciclismo e corrida. Quem opta pela prática do triatlo – esporte que reúne essas três modalidades – precisa de preparo, força e muita dedicação. Mas o resultado, quase sempre, é uma saúde de ferro.

Esporte é a palavra que acompanha a ortopedista do Hospital Samaritano dra. Kelly Stefani, 40 anos, desde pequena. Apaixonou-se pela bicicleta aos 5 anos de idade, treinou basquete dos 8 aos 9, jogou voleibol até os 24 anos. Na época da faculdade, uniu o treinamento de basquete, handebol e atletismo. A maratona da residência médica e da pósgraduação, porém, a afastou da prática esportiva. Anos mais tarde, voltou à ativa. Primeiro recuperou o “fôlego” e daí partiu para o triatlo – também chamado de triatletismo e, ainda, Ironman (“homem de ferro”) –, que combina 3.800 metros de natação, 180 quilômetros de ciclismo e 42 quilômetros de corrida sem interrupção entre as modalidades.

Atualmente a dra. Kelly segue uma disciplina entre trabalho e treino. Três vezes por semana ela nada, corre e anda de bicicleta e, ainda, duas vezes treina pilates. “Sou apaixonada por esporte. A prática regular de atividade física fortalece todos os músculos do corpo, inclusive o coração. Além disso, a produção de endorfina dá aquela sensação de bem-estar e afasta o estresse físico e mental do dia a dia. Outra coisa é a sensação de liberdade que sinto ao praticar esportes ao ar livre e manter contato com a natureza”, conta Kelly.

Benefícios e riscos

É consenso que a prática de atividade física é um dos pilares para manter a saúde em alta. E quem opta pelo treinamento de triatlo pode angariar outros benefícios. Natação, ciclismo e corrida são esportes aeróbios e, portanto, trabalham o condicionamento cardiorrespiratório e contribuem para a manutenção da boa forma física. Isso proporciona coração forte, pulmão bem condicionado e níveis controlados de glicemia, triglicérides e colesterol.

A mente também é beneficiada. Todo esse esforço físico culmina na liberação de endorfina – hormônio associado à sensação de bem-estar –, e com isso o praticante controla o humor e afasta o estresse. Essa receita ainda melhora a qualidade do sono. Para reunir tantos benefícios, porém, o praticante precisa antes de tudo checar a saúde, ter disciplina e ficar atento aos seus limites. Por causa do máximo esforço exigido nesse tipo de esporte, o iniciante precisa verificar como estão suas condições cardiovasculares e ver se não tem problemas nas articulações. “O triatlo é uma modalidade de alta performance. Não deve ser praticado por pessoas despreparadas, pois é grande o risco de lesões ortopédicas graves e dores agudas”, afirma o dr. Nemi Sabeh Junior, médico do esporte do Hospital Samaritano.

Treinamento especial

A médica triatleta é acompanhada por uma equipe de profissionais multidisciplinar. Visita regularmente um cardiologista esportivo e uma nutricionista esportiva. Tem ainda dois profissionais de educação física que fazem suas planilhas de treinamento: um de triatlo e outro específico de natação, além do instrutor de pilates. Tudo para manter a forma para ir além dos limites. “Eu faço provas de Ironman e meus treinos são direcionados para essa modalidade. Durante a semana, dedico em média 3 horas e meia. No fim de sem ana, quando estou em treinamento para uma prova, os treinos mínimos são de 3 horas seguidas e podem chegar a 7 horas”, conta a dra. Kelly. Para aqueles que não praticam nenhuma atividade física e querem deixar o sedentarismo para trás, é  recomendável praticar duas atividades distintas – uma para queimar calorias e outra para ganhar força. Isso porque, quando se elimina gordura, os riscos de hipertensão, diabetes e colesterol são diminuídos, e a musculação contribui para a manutenção da massa óssea. Os exercícios aeróbios, como caminhadas prolongadas, corridas, bicicleta ou natação, promovem perda calórica e melhoria do condicionamento físico. Já o aumento de força é observado em modalidades como musculação e pilates.

O triatlo é dividido em quatro categorias:
Short – 750 metros de natação, 20 quilômetros de ciclismo e 5 quilômetros de corrida.
Olímpico – 1.500 metros de natação, 40 quilômetros de ciclismo e 10 quilômetros de corrida.
Meio Ironman – 1.900 metros de natação, 90 quilômetros de ciclismo e 21 quilômetros de corrida.
Ironman – 3.800 metros de natação, 180 quilômetros de ciclismo e 42 quilômetros de corrida.

Para saber mais veja a entrevista na revista Samaritano Com Você.

Deixe um comentário