ALONGAMENTO E CORRIDA

Uma dúvida sempre presente entre os corredores, iniciantes ou avançados, é se precisa realmente fazer alongamento antes e depois dos treinos e competições.

Para tentar sanar essa dúvida, vamos entender que o alongamento é realizado de três diferentes formas e que tem diferentes objetivos quando realizado antes ou depois da corrida.

Os exercícios de alongamento realizados no método passivo são quando não existe movimento, ou seja, o atleta fica na posição desejada por um determinado tempo e depois retorna a posição inicial, normalmente esse tempo pode durar de 20’’ até 1’ ou mais, dependendo do objetivo. Esse método é mais indicado depois do treino pois facilita a circulação sanguínea, elimina substâncias tóxicas e ajuda no retorno da amplitude articular inicial e aumenta a sensação de bem estar.

Em contra partida, os exercícios de alongamento realizados no método ativo são quando existe movimento, realizados de forma balística, ou seja, movimentos soltos, leves e de fácil amplitude, repetidos por umas 10 a 20 vezes em cada segmento corporal. Esse método é mais recomendado antes dos treinos, pois preparam os músculos e tendões para a tarefa seguinte. Os benefícios são muitos, dentro deles, aumenta a liberação de substâncias que facilitam a contração muscular e aumentam a temperatura corporal ativando músculos específicos para a corrida.

O terceiro e último método é chamado de FNP (Facilitador Neuromuscular Proprioceptivo). Necessita de ajuda externa, ou seja, um companheiro realiza o esforço necessário para atingir a amplitude desejada do segmento corporal a ser trabalhado, fica nessa posição por 6’’ a 10’’, o atleta a ser alongado realiza uma contração contrária a amplitude, depois relaxa a musculatura e o ajudante força mais ainda a amplitude e mantém por mais 10’’ a 15’’. Esse procedimento pode ser realizado de duas a quatro vezes. A base desse alongamento é teorizada por haver inibição neurológica, reduzindo a atividade reflexa, promovendo maior relaxamento e diminuindo a resistência para alongar. Esse método é mais recomendado realizar numa sessão de treino separada, devido a complexidade e intensidade.

O objetivo geral dos exercícios de alongamento, independentemente do método a ser utilizado, é aumentar a flexibilidade muscular e articular  facilitando os movimentos e exigindo menos dos músculos e tendões para realizar o trabalho mecânico com uma melhor eficiência e menor gasto de energia.

O alongamento por si só não previne lesões, ele tem que vir acompanhado de uma rotina de treinos programados por um treinador que conheça do assunto, que estabeleça as distâncias e intensidades corretas para cada atleta, respeitando sua fase de treinamento e condição física.

Em uma sessão de treino tradicional, recomendamos em dias quentes realizar uma corrida leve de aproximadamente 10 a 20’ seguida de alongamento ativo, depois vem o treino principal de corrida finalizando com o alongamento passivo ou massagem se for uma competição, treino muito intenso ou longa distância.

Em dias frios devemos seguir o mesmo procedimento acima, porém podemos acrescentar exercícios de potência e coordenação após o alongamento ativo, assim aumentamos mais ainda o sistema neuromuscular específico da corrida.

Aceite sempre as orientações do seu treinador e procure sempre realizar os alongamentos, assim aumentamos a vida útil de nossos músculos e tendões.

Bons treinos e até a próxima!!!

Abraços

Prof. Gabriel Abreu

Trilopez Assessoria Esportiva