DEEP RUNNING como alternativa de reabilitação e não de treinamento!!!

 

Olá Amigos!!

                A corrida é uma das atividades esportivas mais populares, e sua prática vem crescendo cada vez mais nos últimos anos. Isso se deve à preocupação crescente com a saúde e também à facilidade que se tem para a prática desse esporte.

                No entanto, por ser extremamente fácil começar a correr, é muito comum ouvir os famosos conselhos e dicas que aparecem por toda parte. Alguns são verdadeiros e necessários. Outros nem tanto. Por isso, gostaria de comentar sobre o famoso treino na água, o “Deep Running”.

                Há pouco, uma revista de bastante penetração, e de conteúdo voltado para o leigo, publicou uma matéria mencionando as vantagens de se realizar o deep running.

                Para quem não conhece, é o simples fato de realizar a corrida em uma esteira dentro da água. Dentre os benefícios mais colocados está o de que haveria maior prevenção de lesões e que, portanto, deve ser um treino incorporado ao dia a dia daqueles que querem correr, além de garantir que não ocorra impacto.

                Então, vamos aos fatos:

Como se sabe, a corrida não é uma atividade de alto impacto. Então, com um bom preparo e de posse de uma avaliação criteriosa, não é perigoso correr, muito pelo contrário.

A maior razão colocada para realizar a corrida na água é a de que, com a diminuição do impacto, o risco de lesão cai. Isso não é uma verdade, porque, ao correr na água, os movimentos se tornam mais lentos. Alguém já conseguiu se movimentar dentro d`água com muita rapidez? Se já me contem como!!

O deep running é utilizado como uma opção terapêutica para reabilitação em vigência de aguns tipos de lesão. Mas não deve ser substituída pela corrida como treinamento

A diminuição da velocidade do movimento diminui a capacidade de o músculo se tornar um amortecedor potente. Quanto mais lento for o movimento, maior é a chance de o músculo não amortecer o impacto. Então, treinar corrida dentro da água, poderá aumentar o gasto energético e até mesmo aumentar o grau de força para alguns movimentos. Mas, em contrapartida, vai destreinar os músculos para uma importante função: a de amortecer o tão temido impacto, apesar deste não ser alto.

                Por isso, amigos, muito cuidado com os modismos e ideias que são plantadas e colocadas pelos meios de comunicação. Sempre é bom checar as informações com alguém especializado no assunto.

Realizar o deep runnig deve ser uma atividade planejada, dentro de um cotexto de treinamento, que só o técnico de corrida poderá avaliar se é vantajoso ou não e em que momento desempenhar tal atividade.

Um grande abraço a todos!

Pedro Sampaio

Fisioterapeuta do Setor de Biomecânica