Lombalgia e atuação do fisioterapeuta

Hoje discutiremos um pouco da atuação da fisioterapia sobre uma queixa que atinge boa parte das pessoas de forma rotineira e frequente, a lombalgia ou dor lombar. Alguns estudos apontam que este sintoma acomete cerca de 50% ou mais das pessoas fisicamente ativas de todo o mundo, ou seja, o nosso papel com o objetivo de informar e educar a todos se faz necessário e de grande valia.

A coluna é um importante elo do nosso corpo que liga a cabeça e os membros superiores aos membros inferiores, e é responsável pela manutenção da nossa postura, seja no esporte, trabalho ou dia-a-dia.

A lombalgia pode ter diversas causas, como: hérnias de disco, tensão muscular, desgaste ou desidratação do disco, desgaste articular entre outros. Para cada uma destas causas a fisioterapia pode agir de forma diferente, fazendo uso na terapia manual, eletroterapia, alongamentos específicos. No entanto, o “carro chefe” para o tratamento da lombalgia, independente da sua principal causa é o fortalecimento e ativação dos músculos profundos do abdome, conhecido como músculos do CORE, ou seja, se você acha que só porque tem uma hérnia de disco não há o que fazer está enganado! Raros são os casos que necessitam de intervenção cirurgia, fazendo da fisioterapia a mais eficaz forma de tratamento.

Este tipo de ativação muscular auxilia na estabilização do tronco e da coluna o que é de extrema importância para a melhora do quadro da dor lombar. Mas é importante que estes exercícios sejam prescritos de acordo com o quadro clínico que cada paciente apresenta. Por isso, as avaliações médicas e fisioterápicas devem ser minuciosas, pois com um diagnóstico médico preciso apontando a causa da dor do paciente facilita o processo de reabilitação fisioterápica.

Para exemplificar a atuação da fisioterapia sobre as patologias da coluna utilizaremos alguns exemplos clássicos que são: a lombalgia devido à hérnia de disco, que inicia na lombar e desce por trás da coxa podendo chegar até o tornozelo de forma aguda e que lembra um “raio”, em que o tratamento básico da fisioterapia envolve o controle da dor (ex: eletroterapia); a dor lombar devido à tensão de músculos das costas, onde a terapia manual (ex: Técnica Liberação Miofascial, Técnica de Maitland) são ótimas alternativas para melhorar o quadro de dor do paciente; e a dor lombar por encurtamento dos músculos da coxa que alteram o posicionamento do quadril, onde o tratamento inicial deve focar o alongamento dos músculos corretos. Após a melhora do quadro a ativação dos músculos de CORE é essencial para completar o tratamento.

Citamos estas diversas alternativas de tratamento propositalmente para deixar explicito para os leitores que a famosa lombalgia pode ter diferentes causas e características, levando desta forma a diferentes tratamentos, por isso, é importante o paciente não ignorar a sua dor e procurar a ajuda de um especialista capacitado para indicar o caminho para uma boa reabilitação.

Renan Higashi rhigashi@institutokellystefani.com.br

André Yoshimatsu ayoshimatsu@institutokellystefani.com.br

Fisioterapeutas Esportivos