Zinco um nutriente fundamental no desempenho físico e prevenção dos danos causados pelos radicais livres

O zinco, é um mineral cofator de mais de 300 enzimas, fundamental para o sistema imune, participa de importantes processos fisiológicos, como desenvolvimento sexual e cognitivo, liberação de hormônios,resposta imune,  transmissão de impulsos nervosas, além da síntese do DNA.

 

Sua demanda está aumentada durante a infância e adolescência, na gestação e lactação e outras populações que tem risco de uma deficiência são os idosos, os  vegetarianos e os atletas.

 

A maior necessidade de zinco em atletas está associada  a maior eliminação na urina e no sour, alem de uma maior necessidade antioxidativa. Principalmente para atletas que praticam atividades de longa duração, onde a perda hídrica e de eletrólitos é alta.

 

O exercício físico provoca aumento da produção de radicais livres e para que o organismo possa combater essa ação deletéria a presença de antioxidantes como vitaminas e minerais que atuem otimizando os mecanismos de defesa, tem papeis fundamentais nessa proteção.

 

A garantia de uma ingestão adequada de zinco, não dependem apenas da quantidade do mineral presente no alimento, mas também de sua biodisponibilidade, ou seja, a quantidade absorvida e utilizada pelo organismo. O zinco presente em alimentos de origem vegetal tem menor biodisponibilidade por também conterem ácido fítico, substancia que atrapalha a sua absorção. A presença de cálcio e ferro também reduzem esta absorção,

Boas fontes de zinco são aquelas que não contêm compostos inibidores e apresentam aminoácidos capazes de melhorar sua absorção. Estes alimentos são: Ostra (39mg/ 100g) carne bovina (38,5mg/100g), peru/frango partes escuras (4,5mg/100g) Peixe (1,1mg/100g)

 

As recomendações de zinco para a população em geral: 8mg/dia para mulheres e 11mg/dia para homens

 

Considerando a maior demanda nos exercícios intensos  e a biodisponibilidade  dependente do conteúdo da alimentação, este mineral necessita de mais atenção por parte dos atletas, entretanto apesar de possíveis benefícios de sua suplementação, esta deve ser feita com cautela pois pode acarretar em desequilíbrio de outros minerais como o ferro e o cobre o que pode gerar outros prejuízos.

Fernanda Palma

Nutricionista Esportiva

fpalma@institutokellystefani.com.br